Foco do Brasil

Bolsonaro participa do lançamento do Plano Safra que terá 17% a mais de crédito Andreia Luiza Matias - 28/06/21 20:30

Imagem: Marcos Corrêa/PR

O presidente Bolsonaro participou nesta segunda-feira do Lançamento do Plano Safra do Banco do Brasil. Durante seu discurso, o presidente falou de ações de seu governo que devem aliviar problemas hídricos na região nordeste, que sofre com a seca há anos.

“Estive agora no Rio Grande do Norte com o ministro Rogério Marinho do Desenvolvimento Regional ultimando uma obra que começou em 1952, uma barragem, que após sua conclusão que será este ano, que falta pouco recurso para tal, ela atenderá uma área enorme. Providenciando então que a irrigação se faça presente também naquela região, outrora esquecida por governos anteriores.”

Bolsonaro fez elogios ao homem do campo que não parou durante a pandemia e destacou a ascensão do agro brasileiro desde os governos militares.

“Não existe satisfação melhor que servir a pátria. Se no final dos governos militares, tivemos um pequeno problema com emissão de dinheiro, também começou em meados do governo militar, especificamente com o presidente Geisel, a crença na agricultura com Alysson Paulinelli. Então, o governo se faz de erros e acertos, em grande parte, obviamente. E nós aprendemos com a experiência dos outros, isso mostra que o povo é inteligente. Paulinelli mandou para fora mais de mil garotos, jovens universitários, para aprender agricultura, em especial na Europa e também no Japão e veio para cá e aperfeiçoamos o seu aprendizado lá aprofundando a nossa fronteira agrícola, em especial no nosso cerrado.”

Bolsonaro também parabenizou e agradeceu o trabalho do Banco do Brasil (BB) e do agro em favor do crescimento do país. O presidente fez elogios ao BB e afirmou que é cliente do banco, desde a década de 70, e continua sendo porque acredita no trabalho da instituição. A expectativa do governo é de que a safra 2021/2022 ultrapasse a marca de 300 milhões de toneladas, o que confirmará ao país “a vocação incontornável” de ser o celeiro do mundo. O presidente afirmou que essa posição se deve a um sistema de financiamento moderno e sofisticado que tem à frente o Banco do Brasil. O BB disponibilizará R$ 135 bilhões em créditos para a safra 2021/2022. O valor é 17% superior ao valor aplicado na safra anterior.

O ministro da economia, Paulo Guedes, teceu elogios à ministra Tereza Cristina pelo Plano Safra e disse que a pandemia serviu para mostrar ao mundo a força do agro brasileiro.

“O setor agro brasileiro desafiou a baixa qualidade das políticas econômicas e afirmou a sua vantagem comparativa no cenário mundial. O Brasil realmente avançou contra todas as tempestades.”

Compartilhe:

PRÓXIMAS NOTÍCIAS