Foco do Brasil

Bolsonaro lança sistema anticorrupção Andreia Luiza Matias - 27/07/21 22:48

Imagem: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira (27) um decreto que institui o Sistema de integridade Pública do Poder Executivo Federal (Sipef). O sistema vai coordenar ações nos órgãos que priorizam o interesse público como o combate a corrupção, transparência dos atos públicos e prestação de serviços de qualidade à população. O Sipef será gerido pela Controladoria-Geral da União (CGU).

O objetivo é aumentar a prevenção de atos de corrupção no Brasil de modo que programas de integridade dos ministérios, autarquias e fundações púbicas tenham a efetividade de seus programas ampliada. A formalização do sistema marca o cumprimento, pela CGU, de uma das ações do Plano Anticorrupção do Governo Federal.

Lançado em dezembro de 2020, o plano deve avançar no cumprimento e no aperfeiçoamento da legislação anticorrupção e no atendimento a recomendações internacionais. O presidente da República discursou durante a cerimônia de lançamento do Sipef.

“Eu fiquei vinte e oito anos dentro do Parlamento e antes disso passei durante dois anos como vereador na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Acompanhei, portanto, mais de quinze eleições pelo Brasil. Gerais ou municipais. Em todos esses momentos, durante campanhas, todos os candidatos, da esquerda e da direita, falavam em combater a corrupção. Era discurso que estava na ordem do dia. Não se poderia ir para um debate sem falar nisso ou sem acusar outro de ser o que ele era. Chegado 2018, uma campanha modesta, num primeiro momento sozinho, mas acreditando em Deus e na potencialidade do seu povo, aconteceu o que ninguém esperava: chegamos ao governo e tínhamos que fazer algo realmente diferente, mas diferente para melhor. Tive a oportunidade ímpar, como chefe do executivo, de escolher o nosso ministério baseado em questões técnicas, pouco políticas, mas era o que poderíamos e o que tínhamos de fazer naquele momento. Compusemos um time de ministros nunca visto, em outros governos, abandonamos um pouco a questão política, mas vimos que era necessário, cada vez mais, buscarmos o apoio e o entendimento do Parlamento brasileiro. Fomos nos moldando, mas desde o início aquela bandeira que foi de todos os outros que me antecederam, que não foi diferente da minha, nós pusemos em prática: o efetivo combate à corrupção.”

Bolsonaro lembrou que seu governo chegou a dois anos meio sem acusações de corrupção. Segundo ele isso demonstra na prática como o Brasil poderia ser mudado. Ele lembrou os prejuízos bilionários de estatais em governos anteriores e que hoje dão lucro e usou como exemplo a Caixa Econômica Federal que garantiu mais lucro em dois anos de seu governo do que uma década de governos anteriores. O Banco do Brasil também foi citado, assim como a Itaiupu Binacional, os Correios e o BNDS que no passado financiava obras em outros países e hoje “é usado para atender o interesse do destino do Brasil.”

Compartilhe:

PRÓXIMAS NOTÍCIAS