Foco do Brasil

Bolsonaro diz que pedirá ajuda da defesa e critica ‘protocolo Mandetta’ Da Redação - 22/03/21 10:57

Imagem: Foco do Brasil

O Presidente Jair Bolsonaro falou nesta segunda-feira (22) sobre o tratamento preventivo para combate à Covid-19. O assunto foi levantado por um apoiador no Palácio da Alvorada. Bolsonaro questionou o ‘protocolo Mandetta’ e respondeu ser favorável ao off-label, dizendo ainda que não é dever, mas sim direito dos médicos em adotar o tratamento preventivo off-label.

O Presidente disse ainda que irá levar à defesa nesta segunda-feira, a possibilidade dos batalhões ajudarem na vacinação.

Confira na íntegra a fala do presidente:

Eu sou favorável ao preventivo, eu sou favorável ao off label, tenho falado, apanho muito por causa disso… nos anos 80 apareceu o HIV, Aids. O que passou a ser o tratamento precoce? AZT… ninguém falava nada. Porque atingia muito mais diretamente os artistas, que tinham ‘certos comportamentos’ com seringas, e outra vida também sexual um pouco mais avançada. Então não houve crítica no tocante a isso aí. E foi indo, foi indo e hoje em dia a Aids é controlável, vamos assim dizer.

Aqui privaram os médicos ou estão querendo privar os médicos do tratamento off label. O fora da bula. Se falar a palavra HCK, é crime. E tem relato de muita gente que eu recebo, que em questão de poucas horas, estando em via de ser entubado, se salvaram. E de onde pode vir o grande movimento? Com você, com os médicos se expondo, falando… porque o off label é ensinado na universidade. Não digo que é dever, é direito de vocês fazer isso aí. Agora, uma quantidade por outro lado é contra.

Os motivos eu acho que eu sei mas não quero falar aqui para evitar polêmica, eu estou buscando uma maneira de realmente diminuir o número de mortes, diminuir o sofrimento das pessoas… e por incrível que pareça, eu não sou médico, mas tudo que eu falei é verdade. Até o meus histórico de atleta, não é ser atleta… meu histórico de atleta, tempo depois… comprovação… quase 40% das pessoas que tem uma vida atlética, o histórico de atleta, são mais resistentes ao vírus.

Aqui na presidência muita gente toma ivermectina, quem toma… lá na presidência mais de 200 pessoas pegaram, esses caras que tomam preventivamente não pegaram. Por que a reação por parte da grande mídia? por partes de algumas autoridades contrários à isso daí? Contrários não, eles querem criminalizar isso aí. O que é duro pessoal, que quem é contra, não dá alternativa. Poxa, se você é contra, então vai fazer o quê? Vai usar o “protocolo Mandetta”? Vai para casa e quando estiver morrendo com falta de ar, vai para o hospital? Vai para o hospital fazer o quê? Ser entubado?

O Ministério da Saúde está em fase de transição, tem gente lá dentro que é favorável, tem gente que é contrário. Eu defendo é o tratamento off label para… eu defendo não… quem sou eu para defender um tratamento… é um direito do médico, ou dever, buscar tratar essa doença que não tem algo ainda comprovadamente de forma científica. Mas é o mundo contra, o mundo quase todo é contra o tratamento. É impressionante.

Sobre as vacinas, eu vou hoje levar à defesa a possibilidade dos batalhões nossos ajudar na vacinação. A vacina, só lá em baixo na Fiocruz são 5 milhões por semana, já começamos a produção.”

Compartilhe:

PRÓXIMAS NOTÍCIAS